Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras


19/05/2017

Fala Fisco - Nº 61 - maio 2017

Destaque Fisco: Carlos Eduardo Marino

Trajetória de Desafios
 
Carlos Eduardo Marino
Secretário de Finanças de Crato-CE
 
A trajetória do fazendário Carlos Eduardo Marino se destaca pela múltipla atuação na área das finanças públicas, na superação da pobreza e na defesa da categoria. Na Secretaria da Fazenda, abraçou a atividade fazendária ao mesmo tempo em que encampou grandes lutas no Sintaf. Na Academia, defendeu modelos de superação da miséria no Laboratório de Estudos da Pobreza (LEP/Caen/UFC). Na Fundação Sintaf, atua como pesquisador no Observatório de Finanças Públicas do Ceará (Ofice). O mais recente desafio o levou a ocupar o atual cargo de secretário de Finanças do Crato, no Ceará, com a eleição do fazendário e ex-deputado Zé Ailton Brasil (PP) para prefeito.
 
Marino ingressou na Secretaria da Fazenda em 1990, no cargo de Agente Arrecadador, sendo lotado inicialmente na Coletoria de Sobral. Em 1994, foi transferido para Fortaleza, sendo Chefe de Coletoria do Passaré, Montese e Jacarecanga. Posteriormente participou do Projeto Piloto para implantação de um novo modelo de gestão na Sefaz, no qual as coletorias foram substituídas por núcleos e células de execução. Entre 2006 e 2015, foi lotado na Célula de Gestão dos Macrossegmentos Econômicos (CEMAS), onde assessorava a gerência e o grupo de agentes fiscais levantando informações e construindo relatórios. Em 2015, foi cedido à Assembleia Legislativa onde assessorou o deputado Zé Ailton Brasil.
 
O fazendário se filiou ao Sintaf em 1990, logo que ingressou na Sefaz. “Sempre acreditei que a organização da classe trabalhadora é fundamental para o progresso do trabalhador e da sociedade”, afirma. Para Marino, sindicatos de servidores públicos são essenciais para garantir remuneração e condições de trabalho adequadas, bem como para evitar que as políticas públicas sejam capturadas por grupos privados de interesse. 
 
Entre 2000 e 2002, foi diretor suplente do Sintaf. Nesse período, com o então Governador Tasso Jereissati, não havia espaço para o diálogo. Entre 2003 e 2006, em um ambiente político mais aberto, Marino foi Diretor de Organização do Sintaf. “Nesses anos, participamos de muitas lutas, sempre fazendo greves e mobilizações. As mais relevantes foram a incorporação da antiga produtividade aos vencimentos, a criação do novo PDF e o PCC de 2006”, destaca. Nas gestões seguintes, procurou colaborar com as diversas ações sindicais, seja como diretor adjunto, conselheiro fiscal ou participando de comissões e reuniões.
 
Marino é graduado, mestre e doutor em Economia pela Universidade Federal do Ceará (Caen-UFC). Tem como áreas de interesse o estudo da pobreza e da desigualdade, tendo participado do Laboratório de Estudos da Pobreza (LEP). No doutorado, enveredou também pelo estudo das Finanças Públicas. “Atualmente, participo de uma grande iniciativa da Fundação Sintaf que é o Observatório de Finanças Pública do Ceará (Ofice), que é um centro de estudos e pesquisas que tem por objetivo principal difundir informações relativas a finanças públicas nas três esferas governamentais, com destaque para o Estado do Ceará e seus municípios”.
 
Atualmente, à frente da Secretaria de Finanças do Crato, Carlos Eduardo Marino tem o grande desafio de aliar seus conhecimentos técnicos e acadêmicos e sua sensibilidade para as causas sociais na melhoria das finanças públicas daquele Município. Por toda a sua trajetória e comprometimento, o Sintaf deseja sucesso nesta nova missão.
 
Última atualização: 24/05/2017 às 14:05:02
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras
 

Colunas

Versão em PDF

Edições Anteriores

Clique aqui para visualizar todas as edições do Fala Fisco
 

Rua Agapito dos Santos, 300 - Centro
Fortaleza/Ce | CEP 60010250

www.igenio.com.br